Segunda-feira, 26 de Março de 2007

Tão perto e tão longe

 

 

Tão perto e tão longe…

Inaceitável paradoxo  

Que não vejo

Mas que sinto

Omnipotente!

Omnipresente!

 

No casulo

Desolador

Deste infortúnio

Pelo destino

Imposto

 

Exangue

Gota

A gota

Esvaio-me.

 

Sento-me

E espero

Pelo malho

Do tudo

Ou do nada…

 

Do tudo ou do nada…, que há-de vir.

 

Seja o que seja

Que venha

Nem que seja

Somente um olá.

 

Seja o que seja

Que venha

Mas que venha

E acabe

Com o efeito

Deste silêncio

Castrador.

 

Seja o que seja, contentar-me-á?

Sei lá?! O tempo o dirá.

 

O tempo! Sempre o tempo!

Por vezes justiceiro

Exterminador.  

Por vezes

De todas as mágoas bálsamo curador.

 

Exangue, sento-me e espero.

 

Março de 2007

 

publicado por Entra ou Sai às 19:15
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Julho 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Quando a música parar

. O Baile dos Malditos

. Cicloamores

. O Quarteto na Vigairada

. Obra - Prima da Criação

. É Natal

. Modas e modernices

. Abaixo de cão

. Pedradas, chapadas e esto...

. Pedradas, chapadas e esto...

.arquivos

. Julho 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Abril 2007

. Março 2007

.tags

. todas as tags

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds